Trajetórias mundo a fora

10 de setembro de 2020 | POR COMUNICAÇÃO IJCA

Quando Pedro Ivo Oliveira, 29 anos, se inscreveu no processo seletivo do curso livre em Elétrica e Refrigeração do Instituto JCA em 2019, não poderia imaginar os rumos que a sua vida tomaria no ano seguinte. Enquanto realizava a formação, surgiu a oportunidade de participar de uma missão humanitária em Portugal. Hoje, ele mora no país e coloca em prática todo o conhecimento que obteve por sua dedicação aos estudos.

Pedro morava em Santa Izabel, São Gonçalo, e tinha  interesse pela área de elétrica. Soube da formação ofertada pelo IJCA por uma amiga e fez a inscrição para o processo seletivo. Para Pedro, a formação superou as suas expectativas, tanto pelo conteúdo, quanto pela forma de trabalhar da organização.

“A dedicação que toda a equipe tem, a atenção aos detalhes, o ar profissional com que lidavam com os alunos, enfim, tratavam a gente como pessoas e não como número e isso me marcou”, lembra Pedro, ressaltando outro aspecto que foi importante para a sua trajetória: “Um ponto que destaco é a vivência profissional que ajuda a ‘linkar’ o que aprendemos na sala com a realidade”. 

Depois de terminada a formação e de cuidar dos trâmites da viagem, Pedro fez as malas e voou para Portugal.  “Minha vinda foi mais humanitária do que profissional, uma vez que eu vim para fazer missão em uma comunidade católica. Mas como a comunidade me permite trabalhar, então eu corri atrás”, afirma.  

Logo que Pedro chegou, teve início a pandemia do novo coronavírus, se intensificaram as medidas restritivas e isolamento. “Em março, veio o confinamento por conta da Covid-19, e eu aqui, longe da família. Então pensei em fazer alguma coisa para não ficar parado: fiz um curso online na Universidade de Viçosa de manutenção de ar condicionado de grande porte.” Segundo Pedro, a formação do IJCA e o curso na universidade foram cruciais para a conquista do emprego atual. “Fizeram com que meu currículo se destacasse, sobretudo a vivência profissional do IJCA, que deu um ‘up’, pois mostrou que eu já tinha experiência na área”, destaca.

Hoje, Pedro atua como técnico AVAC , “o que eles chamam o técnico refrigerista aqui”, explica.  Ele exerce a função na empresa pública Eletricidade dos Açores – EDA, que atua no fornecimento de energia elétrica e no ramo de refrigeração residencial e comercial. Quanto ao sonho de cursar Engenharia, este continua vivo para Pedro. “Eu vejo isso como um trampolim para o meu primeiro sonho de ser engenheiro elétrico, penso em fazer a faculdade aqui”, planeja.